A nice cup of tea

 

Se você procurar “chá” no primeiro livro de culinária que pegar, você provavelmente vai descobrir que não há menção a ele; ou, no máximo, você vai encontrar algumas linhas de instruções superficiais que não lhe darão orientações sobre alguns dos pontos mais importantes.

Isto é curioso, não só porque o chá é um dos principais pilares da civilização neste país, bem como da Irlanda, da Austrália e da Nova Zelândia, mas porque a melhor maneira de prepará-lo é objeto de disputas violentas.

Quando olho para minha própria receita da perfeita xícara de chá descubro nada menos que onze pontos marcantes. Em talvez dois deles haveria uma concordância bastante geral, mas pelo menos outros quatro são bem controversos.… leia mais

Diário da Crise 24/06/2016

Uma pessoa de valor nunca é ingrata

Goethe

 

Em sua Teogonia, o poeta épico grego Hesíodo narra o mito de Prometeu, que roubou o fogo dos deuses e o deu aos homens. Como castigo, foi acorrentado pela eternidade a uma rocha no Cáucaso, onde diariamente uma águia lhe vinha devorar o fígado, que crescia novamente durante a noite. Um alto preço a pagar para beneficiar uma humanidade que atravessa os milênios dando provas recorrentes de ingratidão. Evoco hoje o mito clássico para ilustrar o fim trágico de uma das mais extraordinárias histórias de heroísmo de Brasília: a do sargento gaúcho Sílvio Holenbach que morreu ao salvar uma criança no zoológico da capital federal.… leia mais

Diário da Crise 21/06/2016

Ontem se comemorou 133 anos do nascimento do pintor francês Léon Bonnat.  Um dos mais inquietantes quadros de Bonnat – sobre a história de Jó, o personagem bíblico – representa com perfeição o atual estado de espírito da população brasileira. Jó, um homem próspero e feliz, perde tudo: filhos, riquezas, terras, saúde. Resta-lhe a fé em Deus. Após a sucessão de desgraças, ele emerge e recupera tudo o que perdeu.

Abatidos pelos sucessivos escândalos políticos, os brasileiros se veem cada vez mais espoliados e surpreendidos pela extensão das tragédias. Assim como Jó, o Brasil se refugia numa firmeza interna chamada fé (no caso, fé na operação Lava-Jato) para superar a dor da realidade que retira, uma a uma, as conquistas do país: a saúde se foi; os filhos destacados (empreiteiros de sucesso e políticos que se apresentavam como arautos da renovação e da ética) sucumbiram; as instituições desmoronaram, corroídas pela corrupção; os bens materiais, o conforto e a tranquilidade financeira se perderam em meio a uma  crise econômica sem precedentes.… leia mais

Palavras

Tlec tlec tlec tlec. Mercados, Dow Jones, títulos da dívida…

Mãe, você imaginaria que galhardia quer dizer elegância? – Nadja interrompe o martelar ritmado do meu teclado.

Hum…

Pois eu imaginaria algo espalhafatoso, uma farofada…

– !…

É o Gregório de Matos!  E ela sai recitando, com as duas covinhas surgindo no rosto, exatamente como acontece todas as vezes que ela tenta não rir gostosamente enquanto fala: “Ontem a vi, por minha desventura, na cara, no bom ar, na galhardia...” Viu, mãe?? Ele viu a mulher na galhardia… Se fosse comigo, eu  acharia que era safadeza.leia mais

Diário da Crise 17/06/2016

A 49 dias das Olimpíadas, o governo do Rio de Janeiro decretou estado de calamidade pública. O documento assinado pelo governador em exercício, Francisco Dornelles, aponta a “grave crise financeira no Estado do Rio de Janeiro, que impede o cumprimento das obrigações assumidas em decorrência da realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016”. É a gota final de fel no cálice de amarguras de um país abatido pelas pragas da corrupção endêmica, da zika, da crise econômica, da microcefalia e da H1N1 que já matou 886 brasileiros nos seis primeiros meses deste ano.

Diante das quantias astronômicas movimentadas pela corrupção que nos rouba o futuro e da explosão de denúncias que atinge os três poderes da República, penso que os dirigentes do Brasil agem como o médico da tela Anatomia do Coração, do pintor espanhol Enrique Simonet y Lombardo.… leia mais

Diário da Crise 15/06/2016

Judex ergo cum sedebit, Quidquid latet, apparebit: Nil inultum remanebit.

Logo que o juiz se assente, tudo o que está oculto aparecerá: nada ficará impune.

Requiem.

 

Após quase oito meses de tramitação, o processo mais longo do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados chegou ao fim ontem, com a aprovação do pedido de cassação do deputado Eduardo Cunha. A maioria dos deputados concluiu que Cunha mentiu à CPI da Petrobrás sobre possuir contas no exterior. Poucas horas depois, o presidente afastado da Câmara teve os bens tornados indisponíveis por ordem da 6ª Vara Federal de Curitiba e decretada a quebra de seu sigilo fiscal desde 2007.… leia mais

Párias

Sonia Zaghetto

O ser humano tem por hábito construir cercas. Não aquelas cerquinhas brancas, que compõem cenários de filmes românticos, mas cercas escuras, feitas de material gosmento, pútrido. Cercas feitas para separar, isolar, exilar. Do outro lado da cerca, ficam os que foram eleitos inimigos no momento, enquanto, do lado de cá, situa-se aquele que deseja ver afastada de si até a sombra do indesejável que o espia do outro lado da linha.

Quando o pária ensaia ultrapassar a cerca, atira-se sobre o ousado o lobo raivoso da intolerância. Um lobo que não vem só: costuma chegar acompanhado de livros muito sagrados, de pessoas piedosas e zelosas da “moral e dos bons costumes”.… leia mais

Não me diga…

Sonia Zaghetto
Paragraph, coherence, thesis statement – mas que chatice. “Xiii, você não pode usar here, there and everywhere, pois isso é generalista demais”. Ok, ok, vou avisar Lennon e McCartney.
O monitor do professor de inglês compensava com um ego monumental o fato de ser quase imberbe. Olhou para minha dissertação e não escondeu o desprezo pelo que leu. “Mais de cinco parágrafos? Crime! Onde já se viu escrever mais de cinco parágrafos? Onde está a sua capacidade de síntese? Nos dias de hoje ninguém mais escreve textos longos. É a época da Internet, da agilidade, do texto curto – quase telegráfico”.… leia mais

Diário da Crise 10/06/2016

Brasília assistiu, nas últimas horas, a uma avalanche de novidades relacionadas à operação Lava-Jato. As mais importantes foram o pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao ministro Teori Zavascki, para que a denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o senador cassado Delcídio Amaral seja remetida ao juiz Sérgio Moro; e o parecer enviado pelo Senado ao STF opinando que a decisão da Corte que suspende o mandato de Eduardo Cunha tem que passar pelo Congresso. Significa que, se o STF acatar o parecer, o afastamento de Cunha terá que ser aprovado pelo plenário da Câmara dos Deputados.… leia mais

Diário da Crise 09/06/2016

A história e a literatura estão repletas de personagens trágicos vitimados pela própria ambição. Muitos deles ligados a mulheres tão ávidas pelo poder quanto seus parceiros. Seduzidos por luxo e riquezas, acreditam-se imunes à queda. Não raro o destino os mantém unidos também quando termina o período de fartura e brilho e se inicia o tempo da punição pelos excessos.

Hoje, o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha, e sua mulher, a jornalista Claudia Cruz, parecem ter chegado aos umbrais que separam o poderio da decadência. O Diário da Crise é sobre eles, tema das principais manchetes do dia.

Para ilustrar, a pintura de Jacques-Louis David que mostra o personagem mais representativo do orgulho desmedido: o poderoso Napoleão Bonaparte, que coroou a si mesmo, aterrorizou a Europa e terminou seus dias no exílio da ilha de Santa Helena.… leia mais