Diário da Crise 30/03/2016

 

The-Circus-by-Georges-Seurat
O Circo. Georges Seurat.

O Grande Circo Brasil apresenta seus melhores personagens:

  1. O pipoqueiro-animador – No restaurante privativo dos deputados, hoje, o líder do governo na Câmara, Silvio Costa, fez uma entrada esfuziante. Gabava-se, em altas vozes, de que a saída do PMDB havia sido positiva, pois outros partidos – como o PP e o PR – agora ocupariam as vagas e garantiriam mais votos contra o impeachment.  “O ônibus está lotado. Agora só tem lugar em pé. E já está saindo!”, bradava Costa. Um parlamentar perguntou “E este ônibus está indo para onde?”. “Para Curitiba!”, disse o deputado Daniel Coelho. Gargalhada geral!
  2. A Bilheteria – No grande balcão de negócios que se converteu a Praça dos Três Poderes, o mais recente boato é que alguns deputados estão negociando apoio ao governo de uma forma disfarçada: receberiam benefícios do governo mas seriam contabilizados como “indecisos”. No dia da votação do impeachment pagariam a dívida deixando de comparecer à Câmara dos Deputados. Por outro lado, crescem suspeitas de que o troca-troca está a todo vapor.  O Globo noticiou que o governo publicou, ontem, uma edição extra do Diário Oficial da União com remanejamento e antecipação de recursos para alguns ministérios, como parte do esforço para engajar os ministros beneficiados no trabalho de convencimento parlamentar durante o processo do impeachment e, assim, angariar votos favoráveis à presidente Dilma. Foram beneficiados seis ministérios, além da Advocacia Geral da União. No total, o remanejamento abrangeu R$ 1,477 bilhões.
  3. A Jaula dos Leões – As sessões da Câmara tem sido palco de demonstrações de descontrole emocional por parte dos parlamentares, com cenas cotidianas de agressões, ataques à honra e xingamentos. O impeachment domina todos os debates. Hoje, o clima contaminou o Senado a tal ponto que, pela primeira vez, Renan Calheiros decidiu encerrar a sessão.
  4. A Gerente – A presidente Dilma voltou a classificar de “golpe” o processo do impeachment. As declarações foram feitas hoje, durante o lançamento da terceira fase do programa Minha Casa Minha Vida no Palácio do Planalto. “Que processo é esse? É um processo golpista!”, disse a presidente, que reiterou que não há irregularidades em seus dois mandatos ou em sua vida pregressa. Paradoxalmente, Dilma fez um apelo para que não haja ódio nas manifestações.
  5. A Equilibrista – A ministra Kátia Abreu, da Agricultura, foi flagrada hoje enviando mensagens nas quais afirma que ela e os outros cinco ministros do PMDB decidiram não deixar nem o partido nem seus cargos no governo. Ela informou que a decisão dos seis ministros de permanecerem nos cargos havia sido tomada na véspera, na residência oficial do presidente do Senado, Renan Calheiros. Segundo Kátia, todos os ministros se licenciarão do partido. Após a publicação das mensagens pela Folha de São Paulo, Kátia Abreu confirmou, em sua conta no Twitter que continuará no Governo, no PMDB e “ao lado do Brasil no enfrentamento da crise”. Disse, ainda, que deixará a presidente “à vontade” caso precise  fazer mudanças no ministério para recompor a base aliada no Congresso. “O importante é que na tempestade estaremos juntos”, garantiu. Além de Kátia Abreu, os ministros peemedebistas remanescentes são Mauro Lopes (Aviação Civil), Helder Barbalho (Portos), Eduardo Braga (Minas e Energia), Marcelo Castro (Saúde) e Celso Pansera (Ciência e Tecnologia).
  6.  Os Trapezistas – A primeira audiência pública da comissão especial que analisa o pedido de impeachment da presidente Dilma ocorreu em meio a tensão e tumulto. Oposicionistas e governistas se enfrentaram e discutiram aos gritos. Houve troca de empurrões entre o líder do PSOL, deputado Ivan Valente, e o deputado Caio Narcio (PSDB) na sessão em que foram  ouvidos os depoimentos dos juristas Miguel Reale Jr. e Janaína Paschoal, autores da denúncia. Miguel Reale, algo abalado pelo ambiente de confronto, reafirmou a gravidade das pedaladas fiscais, que “configuram crime grave por esconderem o déficit fiscal e transformarem despesa em superavit primário” (Leia aqui). Janaína Paschoal foi aplaudida ao encerrar sua fala, na qual garantiu que a denúncia apresentada à Câmara dos Deputados traz uma série de fatos que configuram não apenas crime de responsabilidade, mas também crimes comuns (Leia aqui).
  7.  Os Animais Explorados – O pato de plástico da Fiesp, instalado na Esplanada dos Ministérios, foi retirado por ordem do Iphan. o Instituto determinou a retirada do objeto de 20 metros de altura porque ele estava obstruindo bem tombado e comprometendo a “integridade arquitetônica e urbanística” da cidade. Alguns deputados do PC do B e do Psol comemoraram o feito, imaginando que o boneco havia sido furado.
  8. O Ilusionista – Novidades no andamento do processo contra Eduardo Cunha no Conselho de Ética da Câmara: o relator, deputado Marco Rogério, apresentou hoje seu plano de trabalho para a fase de coleta de provas e marcação de depoimentos. Das 11 testemunhas contrárias a Cunha pedidas pelos denunciantes, Rogério convidou sete. Entre eles os lobistas Júlio Camargo e Fernando Baiano; o doleiro Alberto Yousseff; seu ex-sócio, Leonardo Meirelles; o ex-gerente da área Internacional da Petrobrás Eduardo Vaz Musa, além do próprio Eduardo Cunha. Mais detalhes no Estadão. Ainda no Conselho de Ética, o presidente, José Carlos Araújo, acusou Cunha de querer dar um “golpe” (a palavra, pelo jeito, é uma tendência neste outono) ao aprovar na Mesa Diretora da Casa um projeto que pode alterar a composição do órgão em seu benefício. Leia sobre isso n’O Globo. Para fechar o dia tumultuado do presidente da Câmara, o ministro Celso de Mello , do STF, negou habeas corpus a Cláudia Cruz e Danielle Cunha, respectivamente mulher e filha de Eduardo Cunha. Elas pediram a interrupção da investigação a que respondem por manter contas na Suíça. Cereja do bolo: o ministro determinou a retirada do sigilo do inquérito, que tramitava em segredo de Justiça.
  9. Os Contorcionistas – O Partido Progressista (PP) iria decidir hoje se continuaria apoiando a presidente Dilma Rousseff. O partido, que pertence à base de apoio do governo e ocupa um ministério (Integração Nacional), teve uma reunião bastante tensa e decidiu transferir a decisão para a segunda semana de abril após a decisão da Comissão de Impeachment instalada da Casa. Sim, você leu certo: depois da votação na Comissão. O segredo de tanta indecisão? O governo teria oferecido ao partido nada menos que o poderoso Ministério da Saúde. O PR – igualmente assediadíssimo – decidiu aguardar os argumentos da defesa da presidente Dilma, que serão apresentados na próxima segunda-feira (4).
  10.  Os Malabaristas – O jornal Le Monde publicou hoje um editorial intitulado “Ceci n’est pas un coup d’Etat” (Isso não é um golpe de Estado) no qual contesta o argumento de que o Brasil está enfrentando um “golpe”. Segundo o jornal, a presidente Dilma e o ex-presidente Lula estão “acuados politicamente” e mostram-se “desesperados”, negando seus erros. Para o jornal, ao agir assim, impedem a calma e o diálogo necessários para superar a crise política, econômica e moral que atinge o Brasil. Para o Le Monde, o argumento de golpe de Estado, não se sustenta, uma vez que “a destituição do chefe de Estado é prevista na Constituição brasileira”. O jornal lembra que o Brasil já viveu um processo de impeachment  em 1990 (Fernando Collor de Mello) e que, na época, o PT apoiou a medida e, evidentemente, não a tratou como golpe. A publicação observa que Dilma e Lula, que experimentaram os efeitos de um golpe de Estado real (o de 1964) deveriam escolher melhor as palavras que usam para definir a crise brasileira, mas que têm desqualificado a oposição e os brasileiros que protestam nas ruas. Por fim, o jornal francês avalia que será difícil a presidente terminar seu mandato e defende a renúncia de Dilma ou eleições antecipadas. 
  11. A vaga de palhaço não foi preenchida: demandará um concurso público para provê-la, já que há milhões de candidatos.

3 comentários em “Diário da Crise 30/03/2016

  • março 30, 2016 em 10:44 pm
    Permalink

    Triste realidade.
    Somente a educação fará com que o povo brasileiro seja pensante e crítico. Longe de acontecer isso, mas acredito que nas atuais circunstâncias, devemos dar mão à palmatória para a mídia, vez que essa está ensinando o povo a pensar e criticar.

    Resposta
  • março 31, 2016 em 5:53 am
    Permalink

    O que pode ser melhor do qu acordar e eler isso com um bom café?

    Resposta
  • março 31, 2016 em 8:30 am
    Permalink

    Palavras estonteantes, texto formidável, literatura mais prazerosa a ser lida, dificilmente será encontrada. Orgulho, muito, de fazer parte de seu mundo particular e ser considerado como seu amigo. Parabéns, a competência está contigo.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *