Despedida

 Para Wanda, que hoje dança nas estrelas

.

Nesta rua tem um bosque

Que se chama solidão,

Dentro dele mora um anjo

Que roubou meu coração.

 

Anjo querido, como são finos estes teus dedos que entrelaças nos meus.

Algemas de um veludo que pesa…

De um tempo que se perdeu.

Adeus, adeus rio de águas claras,

Adeus, perfumes da mata,

Comidas de domingo, canções de ninar

Casas de madeira, canoas e festas? Adeus.

Adeus risos de menina,

Histórias de infância,

Crianças arteiras e laços de fita

Mocinhas risonhas, soldados bonitos.

Adeus vestido de noiva,

Anel no dedo quebrado.

Adeus partos e lágrimas. Adeus.

Foi Deus
Que me pôs no peito
Um rosário de penas…

Adeus noites de amor.

Tudo é passado e está morto.

Já não me queimam as palavras

Não choro os sonhos desfeitos.

Nem a boca tão ferida.

Preciso partir, anjo cruel,

Já me demorei demais.

Adeus velho bosque, adeus anjo frio.

Adeus, filhos e flores. Adeus.

Vou conhecer meu paizinho, abraçar a minha mãe,

E quero beijar meus irmãos, que dançam pelas estrelas.

Fora do bosque há luz. Afinal, há luz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *