26 de Março de 2020

Há trinta dias foi registrado o primeiro caso de Covid-19 no Brasil. O país contabiliza 2.915 infectados e 77 mortes confirmadas.

Em meio ao rápido crescimento do número de infectados e mortos, o país mergulha em um debate sobre a quarentena. Após pronunciamento do presidente da República defendendo o chamado isolamento vertical, as discussões nas redes sociais e jornais se concentram entre os que defendem uma quarentena ampla (com a manutenção apenas de serviços essenciais) e a retomada da economia, na qual seriam mantidos em isolamento apenas os idosos e os mais vulneráveis.

Em paralelo, cientistas brasileiros sequenciaram em tempo recorde o genoma do novo coronavírus em pacientes das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste do Brasil. O trabalho mostra que o vírus Sars-CoV-2 já se propagou no país a ponto de apresentar características singulares. É a comprovação genética da transmissão comunitária. O estudo veio acompanhado de um apelo dos pesquisadores sobre a necessidade do isolamento social para conter o avanço da pandemia no país. O próximo passo é analisar amostras de Sars-CoV-2 extraídas do sangue de pacientes em estado grave. A ideia é investigar se há no material genético desses vírus algum indicador que possa ser associado à severidade da doença. Até hoje, nenhum trabalho revelou que o novo coronavírus sofreu alguma mutação que o tornasse mais letal.

Enquanto se multiplicam as doações milionárias de artistas e empresários para combater a doença, surgem as primeiras denúncias de trabalhadores que exercem atividades profissionais sem qualquer proteção (leia), profissionais de saúde resistindo às ordens para trabalhar sem proteção adequada (leia) e até de ataques à casa de pessoas suspeitas de haver contraído o coronavírus, como ocorreu com uma grávida de Águas Lindas, Goiás (leia aqui).

Estatísticas

O maior número de casos de covid-19 está em São Paulo (1.052 infectados, 58 mortes) e o menor no Amapá (2 infectados, nenhuma morte). Há registros de mortes por causa do coronavírus em São Paulo, Rio de Janeiro (9), Ceará (3), Pernambuco (3), Amazonas (1), Rio Grande do Sul (1), Goiás (1) e Santa Catarina (1). A taxa de letalidade saltou de 2,4% a 2,7%.

Nas últimas 24 horas, o número de mortes por covid-19 cresceu 35%. As vítimas são pessoas a partir dos 30 anos de idade, com os mais atingidos na faixa etária superior a 70 anos. Cardiopatia, asma, diabetes, hipertensão, pneumopatias e doenças hematológicas, hepáticas e neurológicas crônicas foram as co-morbidades identificadas nos pacientes que vieram a falecer.

Por regiões, o Norte tem o menor número de casos (4,3%), seguido por Sul (13,5%), Centro-Oeste (9,4%), Nordeste (15,7%) e Sudeste (57,1%)

No mundo, a pandemia já atingiu 523.124 pessoas e causou 20.946 mortes. Nas últimas 24 horas morreram 2.366 pessoas em todo o planeta e a OMS registrou 105.109 mil novos infectados.

Principais Notícias

Deputados aprovam auxílio mensal de R$ 600 para os trabalhadores informais. Ao todo, quatro propostas acabaram aprovadas em votação remota. Textos seguem para o Senado. Caso aprovados, serão enviados para sanção presidencial. Leia.

Em tempo recorde, cientistas sequenciaram o genoma do novo coronavírus em pacientes das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste do Brasil. O trabalho mostra que o vírus Sars-CoV-2 já se propagou no país a ponto de apresentar características que o distinguem dos coronavírus introduzidos. É a comprovação genética da transmissão comunitária, e veio acompanhada de um apelo dos pesquisadores sobre a necessidade do isolamento social para conter o avanço da pandemia no país. Leia.

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, fez um balanço dos trinta primeiros dias da epidemia de coronavírus no Brasil, disse que em abril o país estará na fase crítica da pandemia e antecipou que os próximos 30 dias serão “muito difíceis”. Assista aqui a íntegra da entrevista.

Governo prepara campanha com slogan ‘O Brasil Não Pode Parar’. Vídeo preliminar cita emprego de autônomos e prestadores de serviços e até combate ao coronavírus para defender retomada das atividades comerciais Leia aqui e aqui.

Bolsonaro diz que coronavírus não passará em lotéricas porque vidro é blindado. Leia aqui.

Brasileiro mergulha no esgoto e não acontece nada, diz Bolsonaro ao minimizar coronavírus. Leia.

Registros de coronavírus no Brasil são subestimados, sugere estudo. Leia.

Confisco de luvas e respiradores opõe União a Estados. Leia.

Com Bolsonaro, caminhoneiros atacam Doria e ameaçam parar. Saiba mais.

Anunciado como referência para coronavírus no Rio, Hospital Federal de Bonsucesso ainda não foi adaptado. Leia.

Isolamento e maior gasto público: conheça as medidas tomadas pelos 20 países com mais casos da Covid-19. Leia aqui.

Bancos elevam juros e restringem negociação com a crise do vírus. Medidas mais duras com empresas vão na contramão do que foi divulgado pelo setor e geram muita insatisfação. Leia.

Em Nota à Imprensa, a Congregação da Faculdade de Saúde Pública da USP afirma que não há contradição entre proteção da economia e proteção da saúde pública; que a recessão econômica decorrente da pandemia será global e já é inevitável. Afirma que o isolamento exclusivo de pessoas em maior risco não é uma medida viável, especialmente em um país com as características do Brasil, com elevados índices de doenças crônicas não transmissíveis que constituem comorbidades relevantes diante da incidência do novo coronavírus. Leia aqui a nota na íntegra.

Para pensar

Que medidas o governo pode tomar para amenizar a crise? Nove analistas sugerem caminhos para se tentar evitar uma deterioração ainda maior na economia. Leia.

Perguntas e respostas: é preciso avaliar ida ao médico diante da pandemia. Leia.

O prefeito de Milão, Giuseppe Sala, reconheceu, nesta quinta-feira (26/3), que errou ao apoiar a campanha “Milão não para”, que, lançada há exatamente um mês, estimulou os moradores da cidade a continuar as atividades econômicas e sociais, mesmo com a pandemia do novo coronavírus. Leia aqui.

Why is Covid-19 death rate so low in Germany? Leia.

Utilidades

O Ministério da Saúde criou um canal para receber doações de insumos, materiais e equipamentos para o combate ao coronavírus. Para ajudar, basta enviar e-mail para juntoscontracovid19@saude.gov.br e informar o que pode doar, além das especificações do item e a nota fiscal ou declaração de propriedade. Entre os itens que podem ser doados estão desde máscaras, respiradores a equipamentos para realização de exames, como tomógrafos. Podem doar cidadãos e empresas nacionais ou estrangeiras, organizações internacionais ou mesmo países. A abertura do chamamento público para recebimento de doações foi publicada hoje (26), no Diário Oficial da União.

Ministério da Saúde lança canal para atender população no WhatsApp, pelo telefone: +55 (61) 9938-0031. Saiba mais. 

O GLOBO lança guia para combater a ansiedade e ajudar a manter a mente sã. Especialistas dão dicas para uma rotina equilibrada e saudável durante o isolamento, evitando estresse e ansiedade. Leia aqui.

Boas notícias

Artistas entram na luta contra o inimigo comum. Xuxa, Rihanna, James Taylor, entre outros, fazem doações milionárias. Lionel Ritchie quer um novo movimento como o US for Africa, de 1985. Leia.

Empreendedores de Niterói criam rede de apoio para superar a crise. Leia.

Criatividade e união ajudam favelas no combate ao novo coronavírus. Leia.

Paraisópolis tenta proteger mais vulneráveis contra coronavírus e miséria. Iniciativa de voluntários da favela paulistana, que tem 100 mil moradores, distribui doações a famílias sem recursos. Leia.

Continua, em todo o País, uma série de campanhas para arrecadar dinheiro e equipamentos de proteção para profissionais de saúde. Se quiser fazer alguma doação, clique neste link e escolha uma entre as iniciativas.

Dois movimentos destinados à filantropia lançaram campanha conjunta, para convencer grandes fortunas brasileiras a doarem para o combate ao coronavírus. O objetivo é levantar recursos em um fundo emergencial para a compra de material hospitalar e equipamentos por quatro instituições públicas de saúde. A campanha usa a plataforma de crowdfunding (financiamento coletivo) para causas sociais BSocial. Clique aqui para acessar o site.

Em tempo real

Para acompanhar a evolução do número de casos e óbitos no Brasil, clique aqui.

Mapa da Covid-19 no planeta. Para acompanhar a pandemia no planeta clique aqui

Combate às Fake News

Recebeu no WhatsApp algum vídeo impactante ou novidades milagrosas para deter o coronavírus? Desconfie. Antes de espalhar a novidade, entre nesta página do Ministério da Saúde (clique aqui) e confira se não é boato, alarmismo ou fake news. Outra opção é entrar na página do jornal O Estado de São Paulo, especialmente dedicada às Fake News ou do jornal O Globo, que acaba de lançar uma plataforma que ajudar a população a se manter informada sobre tudo o o coronavírus. Clique aqui para acessar a plataforma.

****

Imagem: Pieter Huys, Um cirurgião extrai a pedra da loucura.