Em 6 de abril de 2020, a edição é dedicada à memória do médico Paulo Fernando Moreira Palazzo. O hematologista e hemoterapeuta era chefe do plantão de urgência clínica do pronto-socorro do Hospital São Paulo, da Unifesp. Morreu no domingo vítima da Covid-19. Seus companheiros do Samu, muito emocionados, despediram-se dele acionando as sirenes de todas as ambulâncias simultaneamente, numa homenagem que lembrou a origem humilde de Palazzo e seus sacrifícios até concretizar o sonho de se tornar médico.

As principais notícias são os projetos de pesquisa sobre a Covid-19 em andamento no Brasil, a crise que se instalou entre o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e quase resultou na exoneração de Mandetta na segunda-feira; e a decisão do Ministério da Saúde de reduzir parcialmente o isolamento em cidades e estados que estiverem com metade dos leitos e estrutura de saúde vagos. A medida passaria a valer na segunda-feira, dia 13. Ontem, ainda, uma cidade brasileira anunciou que seu sistema de saúde entrou em colapso: Manaus.

A imagem do dia vem do Irã. O cartunista Alireza Pakdel tem comovido o mundo com ilustrações que trazem como protagonistas os profissionais que se sacrificam para cuidar dos doentes – médicos, policiais, bombeiros, enfermeiros e faxineiros de hospitais.

A estes profissionais, em cujas mãos estão nossa vida e futuro, nossa gratidão. 

Palavra de Médico

18 de março, um dia só!

Dr. Fernando Machado

“Cada dia a mais é um dia a menos”

18 de março de 2020. Um marco. Primeiro aniversário em que recebi apenas um abraço, o da minha amada esposa. Nem os meus filhos abracei.

Trabalho no pronto socorro de um hospital de excelência e hoje também na pandemia. Foram poucos que previram uma disseminação global tão rápida quando tudo surgiu na China. Chegou ao Brasil pela Itália, um país que depende muito de turismo economicamente e, assim, demorou para agir frente aos riscos.

Aqui foi chegando aos poucos também. Realmente parecia só uma gripezinha. Inclusive pra mim. Atendi vários pacientes oriundos da China. Nenhum positivou, nenhum internou. Sim, a grande maioria teve e terá quadro leve e ficará bem. O problema, porém, é a disseminação exponencial e, mesmo que seja apenas uma parcela necessitando de assistência médica e UTI com o uso de respirador artificial, será muito além do que o sistema de saúde pode suportar em números absolutos.

Tive um dia triste. Em uma semana, vi e senti na pele (protegida por equipamentos como máscara, luvas, avental, óculos) um número cada vez maior de pessoas necessitando de internação. Pessoas que às vezes só tinham febre ou sintomas leves e, de uma hora para outra, pioravam do quadro respiratório. Atendemos uma moça abatida e febril há mais de 7 dias. O infectologista e eu achávamos que era apenas dengue, mas tivemos uma infeliz surpresa.

A quantidade de jovens também me impressionou muito! Não era problema de idoso? Muitos abaixo de 60 anos internando e em UTI. Mas jovem aguenta, né? Sim, a maioria aguenta em hospitais de ponta como esse, com toda estrutura e equipe de saúde de excelência. Mas e os mais necessitados, os de baixa renda? Será que vão conseguir se salvar? Só nos resta orar.

Acima de tudo, essa doença é muito triste. Ninguém pode abraçar. Eu queria abraçar o mundo, acolher meus pacientes, achar uma solução perfeita. Mas não ganhei abraço de congratulação por mais um ano. Nem um abraço de uma paciente indo de alta para casa. Nem eles, os doentes, podem estar acompanhados. É pura solidão.

Oro pela melhora de todos, e rezo para que o egoísmo vire solidariedade e a solidão vire união. E que março vire o mês do abraço. Um marco!

Estatísticas

O Brasil registra 12.056  infectados pelo coronavirus e 553 mortes confirmadas. No mundo, a pandemia já atingiu 1.244.135 pessoas e causou 69.030 mortes. Em todo o planeta 289.109 pessoas estão curadas da doença.

Houve 852 novas confirmações de Covid-19 em 24 horas, no Brasil. Um total de 54 pessoas morreram em decorrência da doença. O maior número de casos de Covid-19 está em São Paulo (4.866 infectados, 304 mortes) e o menor em Rondônia (14 infectados, uma morte). Todos os estados têm casos, 25 com óbitos: São Paulo, Rio de Janeiro (71), Pernambuco (30), Ceará (29), Amazonas (19), Paraná (11), Santa Catarina (10), Bahia (10), Distrito Federal (10), Minas Gerais (9), Rio Grande do Sul (7), Rio Grande do Norte (7), Espírito Santo (6), Goiás (5), Piauí (4), Paraíba (4), Sergipe (4), Pará (3), Alagoas (2), Maranhão (2), Amapá (2), Roraima (1), Mato Grosso (1) e Mato Grosso do Sul (1). Apenas os estados do Acre e Tocantins não têm, até o momento, mortes confirmadas pela doença.

Principais Notícias

Após ter gavetas limpas, Mandetta se reúne com Bolsonaro e anuncia ‘vamos ficar’. Leia

Mandetta diz que continua e que governo ‘se reposiciona’ para enfrentar coronavírus. Leia.

Capacidade dos leitos na rede pública de Manaus chega ao limite, diz prefeito. Leia.

Mandetta diz que foi pressionado por dois médicos a editar decreto para hidroxicloroquina. Leia.

Ministério da Saúde define critérios de distanciamento social. Leia.

Brasil já registra três mortes de adolescentes causadas pelo coronavírus. Leia.

Maia diz que Bolsonaro pode ser responsabilizado se adotar medidas que contrariem OMS. Leia.

ONU pede proteção para as mulheres que sofrem violência durante confinamento por coronavírus. Leia.

Coronavírus: ‘É respirar fundo, lavar as mãos e contar com o colega ao lado’, diz médica Tatiane Almeida, que atua no SUS. Leia.

Conjuntivite pode ser sintoma do novo coronavírus, indicam estudos. Leia.

Infectado por coronavírus, Boris Johnson é transferido para a UTI. Leia.

‘Sirenaço’ de ambulâncias homenageia médico da Samu morto por coronavírus em SP. Leia.

Estudo aponta efeito promissor contra covid-19 de remédio usado no tratamento da Aids. Pesquisa da Fiocruz indica que o atazanavir é capaz de inibir a replicação do novo coronavírus. Leia.

Lewandowski decide que acordos de redução de salário só terão validade após manifestação de sindicatos. Medida faz parte do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda para evitar com que as empresas demitam durante o período da crise provocada pelo novo coronavírus. Leia.

Pesquisas em andamento

O hospital Sírio-Libanês iniciou um projeto de pesquisa para avaliar eventual benefício da infusão de plasma de pacientes que tiveram a forma branda branda de Covid-19 para tratar pacientes que estão com a forma grave da doença. Os potenciais doadores são homens entre 18 e 60 anos que testaram positivo para o coronavirus e desenvolveram formas menos agressivas da doença. Saiba mais clicando aqui.  

Cientistas brasileiros vão começar a testar um anticoagulante para tratar casos graves de infecção pelo novo coronavírus. Um protocolo experimental do uso do medicamento heparina está sendo finalizado por profissionais do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, e deve em breve ser avaliado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). Leia.

Uma parceria entre o Hospital Israelita Albert Einstein, HCor, Hospital Sírio-Libanês, Hospital Moinhos de Vento e Rede Brasileira de Pesquisa em Terapia Intensiva (BRICNet), junto com com o Ministério da Saúde, inicia pesquisas para avaliar a eficácia e segurança de medicamentos para pacientes com infecção pelo novo coronavírus (COVID-19). Com o apoio na pesquisa da farmacêutica EMS fornecendo os medicamentos hidroxicloroquina e azitromicina. Participarão do estudo entre 40 e 60 hospitais. Saiba mais.

Participe das campanhas

  1. Centro de Atenção Integrada à Saúde Mental (CAISM) Vila Mariana lançou programa para atender aos profissionais de saúde que lidam diretamente com pessoas contaminadas pelo coronavirus. Esses profissionais vivem diariamente a angústia da maior exposição ao risco, bem como testemunham os sofrimentos de pacientes e familiares, o que produz tremendo impacto sobre a saúde mental. Para doar, clique aqui.
  2. O Ministério da Saúde criou um canal para receber doações de insumos, materiais e equipamentos para o combate ao coronavírus. Para ajudar, basta enviar e-mail para juntoscontracovid19@saude.gov.br e informar o que pode doar, além das especificações do item e a nota fiscal ou declaração de propriedade. Entre os itens que podem ser doados estão desde máscaras, respiradores a equipamentos para realização de exames, como tomógrafos. Podem doar cidadãos e empresas nacionais ou estrangeiras, organizações internacionais ou mesmo países.
  3. Em todo o Brasil surgiram campanhas para arrecadar dinheiro e equipamentos de proteção para profissionais de saúde e comunidades carentes. Se quiser fazer alguma doação, clique neste link e escolha uma entre as iniciativas.

Em tempo real

Para acompanhar a evolução do número de casos e óbitos no Brasil, clique aqui.

Mapa da Covid-19 no planeta. Para acompanhar a pandemia no planeta clique aqui

Combate às Fake News

Recebeu no WhatsApp algum vídeo suspeito ou notícia sobre métodos revolucionários para se proteger do coronavírus? Melhor checar antes de espalhar a novidade. Veja as nossas sugestões: você pode entrar na página do Ministério da Saúde (clique aqui) ou no site elaborado pela equipe do G1 (aqui) a fim de conferir se não é boato, alarmismo ou fake news. Outra opção é entrar na página do jornal O Estado de São Paulo, especialmente dedicada às Fake News. O jornal O Globo lançou uma plataforma que ajuda a população a se manter informada sobre tudo acerca do coronavírus. Clique aqui para acessar a plataforma. Há também uma seção inteira da Folha de São Paulo que você acessa clicando aqui.

Atenção: Ministério da Saúde não pede doação de dinheiro.

Diante dos relatos reiterados de golpes que vem sendo aplicados por estelionatários por meio de chamadas telefônicas ou mensagens de Whatsapp, o Ministério da Saúde informa que não pede nem recebe doações em dinheiro, assim como não há fundo exclusivo para receber recursos da população para combate à pandemia de covid-19.

Da mesma forma, o ministro de Estado da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em hipótese alguma solicita doações de recursos da população para combater a pandemia de covid-19. O Ministério da Saúde admite receber doações apenas de insumos, equipamentos e materiais médicos-hospitalares relacionados ao combate à pandemia. Os interessados em fazer doações desse tipo devem procurar o Ministério da Saúde por intermédio do e-mail juntoscontracovid19@saude.gov.br.